MARTINAZZO VISITA CTR SANTA ROSA

O prefeito de Seropédica, Alcir Martinazzo, acompanhado do secretário de Ambiente e Agronegócios Ademar Quintella, visitou na última sexta-feira (02) as instalações da Central de Tratamento de Resíduos (CTR) Santa Rosa, no bairro Santa Rosa. A visita teve por objetivo conhecer como funciona o tratamento de resíduos sólidos encaminhados diariamente para o local.

De acordo o prefeito, observar e fiscalizar o funcionamento da CTR é de suma importância para a Prefeitura. “O gestor precisa saber como os resíduos e detritos estão sendo tratados em Seropédica. É importante saber se o trabalho que está funcionando de maneira adequada, sem comprometer o meio ambiente”, avaliou Martinazzo.

2 (19)Martinazzo deu garantias de que a fiscalização na CTR será contínua, com um trabalho paralelo de conscientização da população sobre o tratamento que deve ser dado ao lixo. “Enquanto muitas cidades brasileiras ainda lutam para extinguir os lixões, Seropédica está bem à frente. Hoje verificamos o funcionamento da Estação de Tratamento de Chorume (ETC), licenciada pelo INEA, que transforma o chorume em água reutilizável”, declarou.

O secretário Ambiente e Agronegócios, Ademar Quintella, declarou que é preciso fazer visitas constantes a estação de tratamento de chorume. “A questão envolve diretamente a pasta de Ambiente e Agronegócios. Nesta visita, a direção do aterro sanitário nos informou sobre todos os procedimentos, inclusive sobre impermeabilização do solo e da drenagem que conduz o chorume até os tanques de tratamento. A fiscalização será contínua juntamente com o INEA”, relatou o secretário.

Do chorume à água

O chorume (sua aparência é bem escura e seu odor nauseante), é um líquido que nos lixões a céu aberto é responsável pela poluição dos lençóis freáticos e de águas subterrâneas devido a sua elevada carga orgânica e recebe tratamento na Estação de Tratamento de Chorume (ETC), instalada na CTR Santa Rosa. O cuidado com esse líquido exige tecnologia sofisticada, mas o resultado é simples: o chorume vira água que serve para hidratar plantas e vias.

São dois sistemas de tratamento, o primeiro, responsável pela nitrificação do chorume, ou seja, pela oxigenação da amônia em nitrato. O segundo é responsável pela desnitrificação do chorume, ou seja, pela transformação dos nitratos e outras substâncias em gás nitrogênio (N2). “O nitrogênio é liberado na atmosfera sem problema, pois é um gás inerte”, explicou William Bortolazzo, diretor operacional. O nitrogênio é um dos componentes da vida, para a produção de moléculas complexas necessárias ao desenvolvimento dos seres vivos, tais como aminoácidos, proteínas e ácidos nucleicos.

O CTR recebe os resíduos dos municípios de Seropédica, Itaguaí e do Rio de Janeiro. O projeto do CTR conta com: aterro sanitário bioenergético; estação de tratamento de chorume para transformação em água de reúso; unidades de beneficiamento de entulho da construção civil e de podas de árvores; viveiros de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica; laboratórios e Centro de Educação Ambiental. Destaque para a estação de captação e tratamento de biogás para geração de energia limpa.

Bortolazzo, informou que a ETC funciona 24h por dia e que o aterro sanitário gera, diariamente, cerca de 500 metros cúbicos de chorume, sendo que a ETC tem a capacidade de tratar cerca de 1000 metros cúbicos por dia. Além disso, a estação de Biogás irá captar 47 mil metros cúbicos até o final do ano, gerando 405. 208 créditos de carbono.