CHUVA MUITO FORTE CAUSA TRANSTORNOS NO CENTRO DE SEROPÉDICA

No final da tarde da última sexta-feira (20), último dia do verão, o centro de Seropédica foi acometido por uma forte chuva que se concentrou em um raio de três quilômetros, aproximadamente, atingindo os Bairros Boa Esperança, Fazenda Caxias e Santa Sofia.

Esta chuva atípica durou mais do que uma chuva de verão comum, provocando transtornos em algumas regiões cidade, a situação foi controlada graças ao trabalho de limpeza de canais iniciado há trinta dias pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos.

De acordo com o Secretário de Serviços Públicos, Caio Ferreira, os bairros Boa Esperança e Fazenda Caxias sofreram os maiores danos, pois o escoadouro que corta a cidade transbordou, inundando diversas casas e estabelecimentos comerciais.

A equipe da Secretaria de Serviços Públicos já vinha realizando a limpeza dos escoadouros e canais que cortam a cidade de Seropédica, iniciando o trabalho pelo Bairro Boa Esperança. “Este trabalho de limpeza é um serviço constante, além de dragarmos os canais, nossos caminhões de lixo fazem a coleta em todos os bairros do município, porém, muitos moradores continuam a jogar sofás, geladeiras e todo tipo de lixo dentro dos córregos da cidade. O serviço foi iniciado há trinta dias na Rua do antigo aterro sanitário de Seropédica e se estendeu até a Avenida H, no Bairro Boa Esperança, de onde foi direcionado para o loteamento Araújo”, declarou o Secretário de Serviços Públicos.

O Prefeito Martinazzo solicitou de imediato que fossem realizadas intervenções nos locais  mais afetados, como foi o caso do canal que corta os bairros Boa Esperança e Fazenda Caxias, além disso, solicitou ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT) à ampliação da passagem de água que passa sob BR 465. “Estamos empenhados em buscar uma solução para estes problemas, os mais graves, que são as limpezas de canais e as obras irregulares já foram iniciados”, garantiu.

Caio Ferreira disse que espera contar com a colaboração dos moradores no sentido de não jogarem móveis velhos, galhos de árvores, pneus, bicicletas velhas, produtos descartáveis e outros objetos, pois quando chove os córregos transbordam e a situação se agrava com a obstrução dos canais, que são represados pelo lixo.